quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

um poema inteiro

imagem e palavra juntos
e eu em comunhão com o firmamento
olhando o quadro
os meus demónios presos ali num recanto
e eu planando
mares, desertos, flores de pimaveras antigas
e neves
tão apaziguada como se tivesse,
num repente, 
atravessado todas as idades do mundo,
este onde não resido mais que um pinguinho de tempo,
tão escasso 
que nem conheço um nico do muito que veria se voasse,
ou nem isso
que há sempre o cansaço
ou um tiro desferido de algum vale
eu olhando embevecida lá do alto
nunca se sabe

antes ficar como diz o verso


 frase da Gisela Ramos Rosa
um poema inteiro

destaque em engraxadoria central

5 comentários:

João Menéres disse...

Agradeço logo, que agora estou de saída.

Um beijo.

expressodalinha disse...

Surpreendente inspiração. O título é bom. A foto também. Os versos´, óptimos. Também sempre sonhei que voava.

Mena G disse...

Excelente!
E excelente homenagem aos 3 envolvidos no selo!

© Piedade Araújo Sol disse...

gostei do poema, da frase da gisela e da foto.

tudo em sintonia perfeita.

bom final de semana..

um beij

wind disse...

Escritora, belíssimo!
Beijos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein