quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

embevecida olho




Olhá-la nos ângulos que o redondo amplia
deitar-lhe um ver de quinze dias
espantar-me do acrescento na barriga
espiar-lhe o andar que vai mancando.

Alegrias de olhar a mulher cheia.

Prouvera que seja o desejado filho
que seja a querida outra menina.

Olhar a mulher prenha a cada dia
Ver-lhe crescer devagarinho o seio
Espiar do feto um movimento
Espreitar a mãe em doce enleio
Saber-lhe o atento principal
cada momento.

É deus que espio
se deus existe
(e em segredo:
eu sei assim que há deus ).



6 comentários:

TINTA PERMANENTE disse...

A custo entremeio aplausos à pintura (que luz!... que espanto!...) a ao poema natura também ele grávido de luz!...
O por dizer são afectos!

Gi disse...

Já percebi a "inspiração" de que falava quando viu as minhas máscaras... :O)
Só que as outras são cor,
esta é luz.
As outras elevam os sentidos,
esta é vida.
Se Ele existe, este milagre
é o mais perfeito de todos eles
talvez por isso se chame estado de Graça.
E é mesmo.

A disponibilidade tem sido pouca nestes últimos dias, espero retomar a visitas breve, breve...
beijinhos

sotavento disse...

Então havia lá de ser segredo?!... :)

legivel disse...

... e não é para uma mulher se embevecer? e o homem, e o homem, pois então!

Anónimo disse...

Aqui entro e tenho que, respeitosamente, tirar o meu chapéu!...

www.rouxinoldebernardim.blogspot.com

wind disse...

Escritora está tão lindinho:)))
beijos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein