domingo, 15 de maio de 2011

ao teu coração que tresbateu

O coração da gente,
Muitas vezes
Vezes demais, pressinto,
Pesa que nem ao homem
O molho das redes



Massa informe,
Mercúrio denso envenenando,
O coração da gente chora
Por muitas vezes,
Dias, anos, meses

A gente soluça o coração em fases
Intermitentes ais que guardamos
Choros de muito antes

Quando choramos,
Soluçamos alma e corpo
Tristezas do Universo todo

E vivemos

Vivemos apesar do grande choro
Um dia e mais um outro
Ai como pesa o coração da gente!
(Como nos pesa ainda mais o coração do outro!)

4 comentários:

Mena G disse...

Acontece a quem tem coração grande. Abraço.

mfc disse...

Há que viver... chorando e sorrindo!

expressodalinha disse...

É preciso ter bom coração.

wind disse...

Excelente!
Beijos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein