terça-feira, 10 de maio de 2011

o sol tão quente...

um grão da areia a rebolar entre os teus dois dedos e o sol de frente
o sol muito intenso na hora do zénite
o grão tão rijo parece um mundo redondinho ali aconchegado 
e quem sabe
quem pode dizer daquele pedacinho de quartzo
um planeta sujeito a forças imensas e só tu saibas que são apenas as forças dos teus dedos
um baguinho de entre a multidão incontável de tantos outros ali na praia
nem um fiapo de nuvem e o mar em espumas sossegadas
e entre os teus dois dedos talvez haja um outro ser deitado numa outra areia

2 comentários:

wind disse...

Tão poético!
Beijos

expressodalinha disse...

E se escorregássemos nesse quartzo e fossemos areia que voa pelo mar entrando?

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein