quinta-feira, 26 de abril de 2007

Dois Postes

ELES andam por aí

......................................................................................................................................
Desalento

Nunca mais arrastámos os pés descalços nas pedras do caminho que levava ao cume e ao moinhos
Nunca mais olhámos o ninho até dizermos olha já nasceu
Nunca mais rebolámos na erva e na areia e nas pedras frias e nem subimos de dois em dois e mais quaisquer degraus
Nunca mais corremos de mão dada a descida que levava ao rio
Nunca mais caímos esfolando os dois joelhos e rasgando o bibe
Nunca mais lutámos por uma mola, uma fita, um cromo ou um berlinde
Nunca mais ouvimos o nosso nome chamado em grito pela mãe
Nunca mais ouvimos o eco, a tarde toda sentados em cima de uma pedra
Nunca mais a bicicleta foi pretexto para idas ao nosso fim do mundo
Nunca mais saltamos a vala que era maior que o salto que saltávamos
Nunca mais subimos a árvore de cujo cimo se via o mundo e ficava ao fundo do quintal
Nunca mais comemos fruta não lavada
Nunca mais escorremos da chuva sob a trovoada
Nunca mais enterrámos na lama mole os pés descalços
Nunca mais jogámos à bola com o que quer que fosse quase redondo e saltasse

Nunca mais rimos como se o riso fosse fala e em lágrimas olhássemos felizes todo o mundo
Nunca mais fizemos noites em claro para ler um romance
Nunca mais dissemos até logo para vir muito tarde
Nunca mais rebolámos de riso sem nos verem nexo
Nunca mais dissemos desculpa com sinceridade
Nunca mais estivemos no meio da multidão como se fossemos únicos
Nunca mais chorámos por ouvir aquela música
Nunca mais nos apaixonámos apenas pela foto
Nunca mais …
(Que fazemos nós se nada fazemos do que vale?!)

19 comentários:

legivel disse...

Ouvir o nome chamado pela minha mãe, impossível.
Comer fruta não lavada para apanhar uma diarreia?! Nem pouco mais ou menos, que com a saude não se brinca.
Apaixonar-me por uma foto?! sendo a minha cara-metade de carne e osso e estou apaixonado por ela!

Os outros itens SEMPRE!

efe disse...

Nunca mais acabava de ler isto.


;p

António disse...

Muito bonito.

Um @bração do
Zecatelhado

A COR DO MAR disse...

Seilá, descobri-te atravez de L.Matta e foi com grd prazer que me lembrei dos tempos em que eu tinha o blog da sapo. E nao é que verifiquei ao lado e la esta LINA mas com o endereço do blog da sapo que "fechou".

Agora deixa-me dizer-te estas linhas deixaram-me um misto de saudade, felicidade, nostalgia e tristeza, mas adorei

Grd grd beijinho para ti*****

wind disse...

Escritora, de facto não fazem nada, se "não fizerem nada do que vale", mas deviam fazer pois esta prosa ou poema, como quiseres, está cheia de tudo.
beijos

Anónimo disse...

2 Postes,1 Ninho,Pétalas,e alguns degraus(Por subir) «Nada Há encoberto que se não descubra,nem nada escondido que se não dei a conhecer(*)bfvhgt

Amaral disse...

Curvo-me perante estes "dois postes", desalento tão bem descrito, tão bem concebido, que me leva a pensar, também, se ELES não andarão por aí... tão perto???

Anónimo disse...

Diz um poste para o" " "E deste luzeiro ardente,deste alento de gotinhas vivas,conservo em ti e vou espalhando p'lo......o doce pólen meleiro,a luz que de ti se anima."

Anónimo disse...

olá

óssóbó disse...

quem sentiu e viveu nas sombras sabe o sabor...

Yardbird disse...

Ainda não te tinha agradecido a nomeação do Thinking Blogger. É que há coisas que nos deixam sem resposta. Mas deixo-te hoje um agradecimento cheio de carinho.
Grato pela tua terna amizade

Anónimo disse...

Caros amigos,

"José Afonso", figura ímpar da cultura portuguesa, que trilhou, desde sempre, um percurso de coerência na recusa permanente do caminho mais fácil, da acomodação, no combate ao fascismo salazarista e pela liberdade e democracia, é tema de um selo que está em 5º lugar. Precisamos do voto de todos para que se faça um selo em sua memória e em louvor à Liberdade.
Num período de exaltação de valores salazaristas, devemos contrapor com os nossos defensores de Abril!

“Venham mais cinco!!
Traz um amigo também!”


VOTA
[aqui]

Abril, SEMPRE!!

Davide da Costa

Gi disse...

Já cá estive umas 2 ou 3 vezes a ler-te. Expressas por palavras aquilo que muitos de nós sentem . A isso se chama comunhãob de sentires. Como não gostar quando os nossos pensamentos tomam forma?
Eles Crescem ... voam ...

Um beijinho para ti (mas grande)

Isaac disse...

Tocante, angustiante e belo.
Seus textos, como sempre, surpreendentes...

Anónimo disse...

.....e uma flõr quinhentista.Parabêns pela coragem,está no lugar certo.Mt* c*rinho(:

Anónimo disse...

Ô

Anónimo disse...

Honten numa das idas ao moinho olhando para o ninho reparei que o Orelhundo lhe tinha caido um olho-------------------quando voltar ao Pentatlo 5.5 trago o restante Beijos

Anónimo disse...

Na partida encontrei outra porta trancada!ao menos podias ter ficado do lado fora.Peço desculpa por ontem não ter me despedido de ti.Obrigado pela bola laranja*.Não me vou esquecer das tuas dentuças....inhas*+tadinhas.Beijos

Anónimo disse...

netnoH«»isto é o nome da minha terra.

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein