segunda-feira, 16 de janeiro de 2006

O Vendedor



Senta-te na borda do sofá e sorri
Afasta as duas pernas bem esticadas
Depois, cruza um pé sobre outro pé
Volta a sorrir
Compõe aquele teu ar de menina
Acaricia um seio com a contrária mão
Abre um sorriso
Sorri como se...
Sorri como se um sonho te surgisse
De dentro
De muito do de dentro de ti
Aconchega o sonho como se fora gato
Ronrona no sorriso que o vê
Aproxima a face do ombro desnudado de manga
Liberta as pernas
Rebola no sofá

Se vires os pássaros migrando
Se ouvires os ventos de sul
Se sentires as areias batidas pelo norte
Se o mar te embalar em vaga larga
Se o grito da sirene te invadir
Se uma, uma só, gaivota vaguear na praia
Se fechares um de cada e os dois
Se fechares os olhos e vires sempre
A escada em caracol que te leva subindo
A lava de um vulcão a esfriar no mar que olhas
A criança sorrindo
Os noivos no altar
Tantas mortandades
A mãe parindo
Aquela ilha andando pelo mar
Uma noiva a chorar
O pai sem filho pela mão
A areia do deserto explodindo de fogo
O sol a pôr-se
A caixa descendo numa cova
A faca esventrando o porco
A neve no cume da serrania
Ovelhas saltitando nas ondas
Peixes pastando nas montanhas
E o teu corpo
O teu corpo
O teu corpo.

Se vires...
Os olhos bem fechados e tu sempre vendo...
Oh! Como te invejo!
Estás sonhando!
E eu lendo as instruções daquilo que vendo.

15 comentários:

BlueShell disse...

Um dos teus melhores textos. Lindo, lindo.

***Um abraço cheio de luz e
Jinhos, BShell

ognid disse...

Fabuloso!!! bjs

Arion disse...

Absolutamente genial! bjs

Amaral disse...

Adorei! Um sonho imaginado, na borda dum sofá, sorrindo, com as pernas esticadas…

wind disse...

Espectacular! Genial mesmo:) beijos

zé das loas disse...

Ola, Marafada. Que "coisa" linda de ser ler... Um poema belíssimo. Beijos

(Uma escada em caracol é que faria as delícias da "menina_graça" e de meus dedos. Emprestas?...rss)

legivel disse...

Sobre a questão que colocas no meu blog, tens os meus e-mails e telefone.

Nilson Barcelli disse...

Estou sem palavras para o teu poema.
É longo mas lê-se de um fôlego.
É muito bem construído. E o final é definitivo. Faz-me lembrar a tourada, onde o toureiro, depois de lidar o touro, faz um último lance e vira as costas, sabendo que o touro ficará imóvel, a arfar, mas sem reacção.
No fundo estou a chamar-te escritora toureira. Mas é só uma imagem, não quero que te ofendas...
Beijinhos querida amiga.

menina graça disse...

Ai, dona Seila que a senhora deixa-me meia aparvalhada e até assim a modos que com os olhos húmidos, sabe? Coisa bonita, fez-me lembrar um vendedor lá do meu bairro que tinha uma esposa que... olhe, deixe lá, lá ia eu começar com as minhas conversas.
Quanto à sua dúvida, o Zé das Loas existe, sim, e não é inventado. Só que tem andado atarefado. A gente tem que entender que a vida não é só blogues... :))

Humor Negro disse...

Então e estasse bem neste beluga?
Um bom ano para ti Seila, ainda não tínhamos falado este ano. :-)

Humor Negro disse...

beluga é nick para blog, e tens lá a resposta à questão dos quarentões loiros ;-)

Mushu disse...

Obrigada pela prenda, marafada! Vou já remendar... mas falta-me a linha.
;)

folhasdemim disse...

Excelente!
Beijos, Betty :)

TMara disse...

ó pra mim sorrindo de encantamento...:)
Bjocas de luz e paz e bom f.s

Aran disse...

Está fantástico e não podia estar mais bem acompanhado... magnifica imagem! Parabéns! Adorei, beijinhos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein