sábado, 18 de junho de 2005

instante

Buscavas uma sombra. A tarde abrasava, mas ali, na margem da ribeira, refrescava. A vegetação rendilhava de luz o saibro marginando as águas. Poucas águas. Um nada mais que regato ondulando sobre dispersas pedras. Viste-a. A sombra lá estava. Extensa sombra de um tronco, mesmo na beira da água, quase conforme ao anatómico que desejavas descansar. Encostaste a mochila, tropeçaste de ligeiro num ramo e deitaste-te. O corpo todo assente. Do lado de lá da ribeira pachorrentavam-se bois. Lentamente tiraste botas e meias. O fresco da água tocou cada um dos pés. Respiraste fundo.
A manga da camisa acima do pulso mostrou a marca arredondada. Sete dias. Deram-te sete dias de liberdade. Mais para a noite dormirias no endereço certo. Agora, precisavas abrir os pulmões à serra. Por isso, ali estavas apenas respirando...


imagem "por entre as pedras"de José Rebelo[ Mané ]

16 comentários:

bertus disse...

...o meu cunhado José Rebelo, autor da imagem que editaste ("por entre as pedras" do seu título...) deve ficar satisfeito pelo facto de se saber "publicado", mas ainda mais ficaria se o seu nome aparecesse designado...

Há coincidências do caraças!! e a net já não é um mundo tão grande como isso.

Bom domingo!!

wind disse...

Que frescura de texto e belas palavras.beijos

Amaral disse...

Sete dias. A sombra e as águas calmas do ribeiro, tecto refrescante dum sonho livre. Pulmões abertos à natureza viva, solto, vazio, sem botas nem meias...

lique disse...

De repente, o teu texto fez-me ficar muito mais fresquinha. É que está um calor por aqui... :) Estava mesmo a apetecer-me meter os pezinhos na água.
Beijão

Dora disse...

E estar "apenas" respirando com os pés num riacho e o corpo sobre um tronco, sem urgência de morada a não ser nessa noite, pode ser uma fantástica celebração da liberdade. Tu escreveste o cântico alusivo...

agua_quente disse...

A paz, a sensação libertadora. Mesmo por sete dias vale a pena. Beijos

paper life disse...

a liberdade entre montes e água...

:)

sotavento disse...

Liberdade de respirar, no fundo... Muito de vez em quando procuramo-la...

Carlos Barros disse...

por esse ribeiro manso por onde me sento e descanso (...)

TMara disse...

Há momentos k bem vividos valem uitas vidas estéreis. As fotos são belíssimas. Então a da água corrente nos seixos...Lindo. Bjs e ,)

bertus disse...

...esta cabeça anda mesmo a pedir férias...
Atão não é que já confundo "genro com cunhado"?!

Não faças caso...

sonia disse...

linda imagem, bonito pensamento
beijinhos grandes

O Micróbio disse...

Obrigado pela dose de frescura que nos enviaste com esta foto...

sonia disse...

ai mulher que até fiquei envergonhada com o comentário que me deixaste.
muito obrigada.
beijinhos

Cecília disse...

Senti-me levada para os tempos em que perto da minha casa tinha uma imagem como esta... Saudades.
Bjs

bertus disse...

...e água continua a correr...; que fresquinho! è mesmo bom vir aqui pelo Verão...

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein