segunda-feira, 1 de novembro de 2004

Sorvete


Os cabelos redondos. Uma negrura de pele. Redonda a anca. Um por detrás redondo. Rolava pé descalço. Rolava! que não anda quem assim andava. Por detrás do assentar do pé, ficava um chão pisado. Igual?! vocês o pensam! Pois desigual vos digo eu que é! O chão que ela pisava rolava de um pé a outro pé. Nem ela era que andava! disse. Sim! Era o chão que rolava por debaixo do pé. Negrinha toda. Não. Minto. Rosada a língua aparecendo no lamber calado do sorvete. Sorvete castanhinho que nem ela. Um chocolate lambido de rosa. Rosa também o dela no debaixo da mão. Debaixo era de cima e um par. Isso era mesmo. Quando aparava água de chover pingo de céu. Rosado sim! olhando para cima, ficava o em devolta do negro muito preto do olhar. Redondo. Um negro em fundo rosa redondo! a olhar. Agora. Ali. Rolando o chão no que se diz de andar. Ela. Passando língua rosa em chocolate mole. O calor do sol. Redondo o sol. Desmantelado o doce chocolate do calor duplicado. O sol e a língua rosa. Luta desigual. Cai pingo na blusa. Cai pingo junto do céu. Cai o que se diz de chuva. É. O pingo redondo no lá em cima da nuvem. Caindo engelha. Estica. Fica forma tal de pingo de chuva. Cai. Arredonda em cima da blusa. Ela pára. Desvolteia o chão de terra no em redor do pé. Olhem! Por debaixo do negro (o pé) rosa/amarelado. Rosa por de dentro e por debaixo. E ela...toda ela chocolate. Negrinha. Parada olhando. Um olhar redondo. Vendo. A boca aberta suja de sorvete. Olhem! Rosada de rosa quente até mesmo ao lá de dentro.
Negra.
Negrinha tola olhando a chuva e perdendo sorvete.
imagem adaptada d'aqui

19 comentários:

MWoman disse...

Ai mulher que me matas com a tua escrita. Que é o mesmo que dizer que me prendes, me fazes sorrir do princípio ao fim.
Fico assim boca aberta no ecrã! Sei lá! (hehe)

mfc disse...

A beleza não tem cor.

fernanda dias disse...

Até me tiras o folego! Beijo grande e boa semana

O Micróbio disse...

Sim, a beleza não tem cor... mas estas cores têm beleza!

bertus disse...

desculpa lá , mas estou mesmo com pouco tempo por via de uma série de coisas que tenho de tratar. Provavelmente só estarei disponível para as bloguices
a partir do dia 10 deste mês e então aí sim. Volto em força e mais "morto" que antes!
Fica bem, beijinhos e intés!!

wind disse...

Espectacular esta descrição de uma negrita. As tuas palavras são de uma magia intensa:) beijos:)**

Nia disse...

Música no corpo.Música na boca.Gelado derretendo no fogo da sensualidade da chuva no corpo da mulher-criança .Negro de pureza, sensualidade de pecado virginal.Isso é música.É a negrinha andando-dançando.É a negrinha com um toque de Leonor de Camões.Só que essa Leonor mais céu.Esta "Leonor" negrinha , mais céu na terra.

Tim Bora disse...

E eu fiquei redondo de tanto que este texto me limou as arestas. Nem precisava de ver a foto (belíssima pintura), as cores estão todas misturadas nas letras.

Anónimo disse...

Seila é sempre o prazer passar por cá. So coisas bonitas. Deixo-te um beijinho (n sei qd voltarei tenho meu pai muito doente). Beijinho***

Seila disse...

Quem és anónimo?! diz sff. De qualquer modo, obrigada pelas tuas palavras e muita fé na vida que tudo corra bem! Abraço grande!

Alexandre Sousa disse...

Vim pela vez primeira. Valeu a pena. Vou voltar, pela poesia em prosa, pela musicalidade das palavras. Um locar para se estar. Obrigado por estes momentos.

M.C. disse...

delicioso este teu gelado!! (apaguei o perdida, se não souberes o novo link é outrademim.blogs.sapo (passo a publicidade) ). Beijinho

dora disse...

Um texto lindo que derrama acordes de Bossa Nova! Adorei! (atrás da porta)

lua_sol1 disse...

Bem retratada essa negrinha. Gelado e língua rosados. Lindo. Beijinho

almaro disse...

Negrinha tola que rola num quente húmido que chora na pele, criola. É linda a menina de língua rosa que foge e salpica a chuva tola que molha. Criança-mulher que rola, a sorrir nos olhos rosa que olham as gotas que chovem da pele, salgadas de doce, que escorre sorvete em gotas mornas de chocolate, ao som das mornas de ilhas outras, que cospem fogo nas horas mortas.

BlueShell disse...

"Pingo de céu"...achei lindo...Li e reli com gosto. Agora vou espreitar os olhares felinos, hheehehheh Bjs

Anónimo disse...

Gostei imenso do texto e da foto! Parabéns pela beleza que pões em todos os teus textos.
http://sunshine.blogs.sapo.pt/
http://pequenitos.blogs.sapo.pt/

Gotinha disse...

Bela imagem.... o olhar pára!!

pipetobacco disse...

{ ... trazes-me [á] lembrança de África [criança], recordar de cheiros e sons quentes e viver infância de novo empunho lança © biquinha ... }

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein