sábado, 9 de outubro de 2004

quase oremos

...a estas palavras queridas do Almaro

“Pega numa lágrima,tua, com dois dedos (polegar e indicador, de mão qualquer),
ao de leve, não vá ela fugir e perder-se no ar ou no chão.
Conseguiste? Bravo! Bom começo! Agora, olha-a! Que cores vês? Quantas? Uma? Duas? Consegues dar-lhe nome? Tem todas as cores do teu rio e da tua saudade.
Se olhares bem, são os teus olhos que se reflectem da tua lágrima.
As nossas lágrimas é o nosso EU, todo lá dentro…”

juntei a voz doce que hoje de mim se acercou
de um grande amor, de um meu amor!
fiquei da saudade acalmada....
e assim...
(mais a chuva com que enchi mãos e alma)
a tristeza se enrolou e...
de mansinho...
descansou de mim!

Obrigada!



11 comentários:

Cecília disse...

Se me voltas a dizer que o que escreves é assim uma coisinha, zango-me. Por hoje ainda levas um beijinho.

lua_sol1 disse...

Bom dia! Os meus comentários já cá ficam? Um beijinho e bom fim de semana.

lique disse...

Este rapaz é um poeta de uma doçura e sensibilidade difíceis de igualar. Há pessoas assim, especiais. Se a trsteza descansou dentro de ti, já conseguiste, pelo menos, não a agudizar. Que vá desaparecendo, pouco a pouco. Um beijo e tem um bom fim de semana.

Anónimo disse...

Que bom ter alguém que nos ajuda na tristeza e te faz enfrentá-la:) wind

M.P. disse...

Simplesmente LINDO! **

ognid disse...

Belíssimas as palavras do Almaro. E finalmente acalmaste e a humidade deu em chuva :) a minha (neura) passou com as fotos e a tua, pelo que vejo, também. Bjs

folhasdemim disse...

Bonitas as tuas palavras e as do Almaro. Fica bem. Bjs, Betty :)

Tim Bora disse...

Lindo, linda. Uma boa semana.

lua_sol1 disse...

Hoje, a minha saudade está mais calma.

bertus disse...

Raios! tou farto de tentar pegar numa lágrima minha e ver da côr que é e nada...Tou quase a desistir. Já me fartei de gastar cebola para chorar em caudal mas qual quê! as lágrimas não se deixam apanhar. A menos que...já sei! vou deixá-las correr para um copo e de pois pego numa pinça e bimba! Xiça! qual pinça qual carapuça! tens que me ensinar a pegar numa lágrima, tá? vai-se por detrás sem que ela dê por isso? Dizem-se-lhe palavras ao ouvido? Promete-se-lhe uma prenda? ´Será de caras ou de cernelha? pega-se como??? ajuda-me!!
Beijos e intés!!

Seila disse...

há mesmo coisas que não se ensinam...aliás...nada se ensina...aprende-se...(deste-me, de assentada, no teu comentário,"a" resposta que me não saía a este post) nada se ensina, mesmo!!! mas chega sempre um tempo de aprender!! sempre chega um tempo em que aprendemos!
Fica bem!

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein