sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

história que não conto


publicada inicialmente em Notícias do Gil

Podia contar uma história passada no recreio, ou na sala de aula, ou de como tinha sido a prova oral daquele exame.
Podia também contar de namoros.
 Ou contar das partidas que fazíamos: sempre às escondidas, sempre longe de sermos vistos nem que fosse com um sorriso malandro pendurado nos olhos, que partida que engendrassemos era combinada no maior segredo, e a execução dava-se em sossego. Nada de atropelos como daquela vez.
Podia contar, mas não conto!
O que eu poderia contar nem teria interesse: coisinhas como ter feito aquela conta trinta e tantas vezes numa manhã inteira, que era o que durava a prova! e em cada vez que fazia aquela abençoada divisão por dois algarismos, dizer, convicta e sistemática: dois vezes dois, quatro, e vão dois! e nada batia certo, e tornava: dois vezes dois, quatro, e vão dois!
Não pode ter interesse este tipo de erro feito por uma menina com duas tranças louras que andava ainda na segunda classe, a bata muito branca, os dedos da mão direita borrados no sítio onde já criara calo do aparo! e todas as demais meninas a deixarem a sala, a prova terminada, e ela a ficar para trás, a engolir a humilhação de mistura com as lágrimas que só chorou em casa! e de novo:  dois vezes dois, quatro, e vão dois! e a voz da professora passando ao largo: então menina e essa conta nunca mais se acerta?!
A menina a fazer uma prova final em folha de papel almaço com margem dobrada pela quarta parte, e a caneta de aparo molhada em tinteiro de loiça enfiado no buraco.
Claro que histórias como esta não entusiasmam o leitor, ainda mais se ele nunca viu uma folha de trinta e cinco linhas em papel almaço ou um tinteiro de porcelana enfiado no buraco da carteira repleto até às bordas de tinta azul intenso.
E porque com este exemplo cuido ter argumento que chegue, vou daqui e não conto!

7 comentários:

wind disse...

Eu fiz isso, provas até à 4ª classe em papel almaço de 35 linhas e com tinteiros no buraco da carteira de madeira:)
Borrava-me de medo de sujar a prova.lololol
Beijos

maria de fátima disse...

fizeste?! mas que idade tens tu?!!!!!!!:)

maria de fátima disse...

fizeste?! mas que idade tens tu?!!!!!!!:)

wind disse...

Tenho 49 anos:)

wind disse...

Andei na primária antes do 25 de Abril:)

REJO MARPA disse...

Eu também fiz... O exame de admissão ao Liceu e Escola Comercial e Industrial... E acho que deve contar, demonstrar que a primeira e à primeira dificuldade, hoje desiste-se...Nessas carteiras
não era possível, nem admissível...
Fico à espera do resto, que de bom,
foi o princípio...

Anónimo disse...

Wir alle wissen, dass Sie sollten PvP wählen, wow gold und im Kopf behalten ein paar Dinge. Sie müssen sich Dinge wie der Mob Niveau und Ihre Area of ??Effect Spezifikation zu berücksichtigen. In der Regel nur ein Wort: tot, sagte der Heilige Priester Schurke Begegnungen. Rogue für Sie berechnet, wenn der rebellische am Ende sagen, ist dein Leben immer in den Händen, und Sie können nicht so leicht entkommen. Also, sollten Sie sicher sein, nicht mit Zohan wow gold lastschrift an die Rogues und legen Sie die Aufgabe in das Feld ein. Es ist einzigartig und enden mit dem Tod. wenn Sie Ihre Fähigkeiten verbessern wollen. Upgraded durch den Verkauf von großen und mehr wow gold können, wird es auch Ihnen helfen, schnell. Aber Sie können nicht nur schnell, dass Sie einen Nachteil im PvP zu finden. Aber Sie wissen, welche wow gamecard Klasse Sie wählen sollten?

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein