segunda-feira, 6 de setembro de 2010

paroles, paroles

O mundo não é este dez elevado a quase nada do universo
O mundo é impressionante de largo – dez elevado a tanto que ficariam zeros a pingar para fora do corpo da estrada de são tiago, ou quiçá mais longe
porque é o que acontece que faz que o mundo seja mundo e não apenas um outro planeta a girar em torno, a fazer dias e meses e tempos diminutos, que ainda assim nem tem interesse que os tempos sejam longos ou escassos, se não se dá algo neles
O mundo é,
em menos de um segundo, num dez elevado a número negativo, em muito menos do que o tempo que demora uma letra destas a ficar com aspecto de ser lida,
um retalhamento de tanto acontecido
E o que eu me espanto desse tanto que acontece mesmo quando tomo apenas um resumo
um salpico!
E nem há assim tantos avanços na qualidade do que vai acontecendo
parece que existe dificuldade em mudar apesar do tanto que se dá, diverso, num menos que trimilionésimo do segundo
Seria de esperar que os acontecidos se moldassem uns aos outros
que morressem muitos por serem tantos em tão escasso tempo
E no entanto o que noto é que aos acontecidos de antes se adicionam outros mais recentes e se repetem até os que pareciam ter desexistido

2 comentários:

wind disse...

Escritora, boa reflexão.
Beijos

mac disse...

Menina, acorda.

Os acontecidos de antes morrem na memória, o ontem nunca existiu...

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein