sexta-feira, 12 de março de 2010

simplesmente, hoje

simplesmente
porque embrulhadas em lágrimas
misturadas em sorrisos,
as palavras hoje fugiram-me
se eu pudesse,
se fosse o caso de conseguir isso,
eu hoje seria borboleta ou pássaro migrador
ou seria deusa com o poder da ubiquidade
se fosse o caso,
eu levava-me a ficar olhando-te
ou a dar-te um abraço
se eu pudesse,
mas não posso e envio-te a foto
não fui eu que a fiz e no entanto ela tem lá o que sinto,
que as palavras com que eu pudesse dizer-te  evolaram-se
e depois, 
o mais que eu dissesse seria sempre pouco
hoje que é dia doze do terceiro mês
 podia contar-te uma história
dizer-te do quanto foi um dia bonito aquele em que vieste por milagre dos deuses,
(só pode ser por isso que nasce um ser)
de mim vieste a este mundo e disso eu te agradeço,
de seres meu filho e seres um ser tão lindo
eram tempos de pão e de canções nas ruas
tempo de esperança
e mais que isso
 tempos de certezas em porvires risonhos
que me perdoes se não soube construir para ti esse mundo de cujos hinos nasceste a ouvir os sons

1 comentário:

wind disse...

Parabéns aos dois:)
Beijos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein