sexta-feira, 15 de maio de 2009

dez anos numa ilha

Se eu fosse obrigada a isso:
A ir assim para uma ilha
Esse tanto tempo,
Eu primeiro refilava, mordia
Dizia de meus direitos
Que não ia
Que me explicassem a causa
Que não queria
Eu a viver sem electricidade e sem satélite?!!
E sem carro?!!!
E sem máquina alguma?!!
Eu refilaria, e muito!!!!

Mas …
A gente não o sabe
Não é dito aqui no desafio:
Podia a ida ser por boa causa
Como seja fugir da gripe!!

Indo, por razão nenhuma
Ou por muitas,
Levaria sem duvida o marido!
Outro em sua falta
Mas, a tê-lo, era ele que iria comigo
Que esse era garantido que fizesse
Casa e cama
E o mais que fosse necessário
Até mesmo roupa
E seria certo que inventasse modo
De fazer uma piroga
Uma coisa para boiar na água
Que fizesse fogo, além do que incendeia a alma
O marido, levava-o comigo
Não hesito!
(até mesmo para seu castigo:
Para que ficasse dez anos mais a sós comigo)

Os filhos, esses meus amores…
Apertada que eu estivesse de saudades,
Levaria cada um, apenas se a causa fosse
Para salvar-se a gente de uma epidemia
ou parecido
Noutro caso… que ficassem
Que fossem felizes no mundo civilizado.

De resto, levaria
um serrote,
uma enxada e
uma caixinha com sementes
(de salsa, abóbora e melancia, hortelã e fruta variada)
Por razões que me parecem óbvias…



Levar um livro pareceu-me que seria sensaboria
Mesmo que fosse a Sagrada Bíblia…
(e como eu iria ter saudades de uma boa leitura!)
O tempo de repouso seria melhor empregue
a olhar o firmamento
A refazer o céu em outra latitude
A descobrir finalmente a minha queda para a Astronomia
A testar os meus parcos conhecimentos nessa área
Esses, e os demais…
Que me restaria tempo para pen
sar
O porquê de cada coisa
Rever leis
Redescobrir o sentido da ciência Física
Uma bússola?
Ainda pensei nela,
Mas numa ilha deserta
Numa ilha rodeada de firmamento…
Os astros me dariam sempre a direcção e o sentido
Pensei levar lápis,
Mas gastava-se…
Para escrever, um carvão
Serviria …
Ou uma pedra…
Ou o dedo na areia…
Papel?
A chuva o molharia
Comida e remédios?
Estragavam-se
Consumiam-se num ápice
Passariam o prazo de validade
Fotografias?
Aumentariam a saudade
Melhor seriam as imagens que levasse na alma
Roupa para o corpo?
Sendo pouca, mais valia nenhuma
A que tivesse vestida
Por via da vergonha, na partida
Outra, inventaria modo, lá na ilha:
Umas folhas, umas pétalas de flores
Quem sabe, o marido matasse um bicho…
A pele daria um casaco,
(sem preconceitos civilizados
e que aceito)
Seria manta para as noites…

Depois destas hesitações,
Optei pois por levar …
Um canivete suíço!
Dizem, pois nunca uso,
Dá para quase tudo
Inclusive,
Coisa que me perturba em situações
Como a que verso neste desafio,
Cortar as unhas
De pés e mãos
Não as deixar compridas a encalhar em tudo
(também para barba e cabelo…
mas esses, seriam, ao que penso, charme)



Parti do princípio que a ilha teria água potável
Imagino-a até um local idílico
Com palmeiras e coqueiros
E mangueirais inchados
E uma cascata a cair num lago
E um rio atravessando a ilha de um a outro lado
E outras maravilhas, que mereceriam o esforço de dez anos
(e aqui, que ninguém nos ouve, maravilhas que
mereceriam o sacrifício de levar o marido e não um outro
…)

Dez anos…
Tanto tempo!
Mas com boa vontade ainda viveria para escrever um livro
Para mostrar ao mundo como podemos ser felizes

Sem cadeias de supermercados, nem açúcar refinado
Nem gelados de chocolate, frigoríficos
Nem tabaco!
E sem luz que não seja a luz da lua
e luz do sol que nos queimaria
e a gente sem o protector devido
A gente sem água engarrafada
que o mais que semelhasse seria
a que caísse em cada chuvada…

Bem …
Por aqui me fico,
Que parece
(e não é verdade!)
Que me candidato a fazer a experiência:
dez anos sem mais que cinco coisas, ou pessoas
numa ilha do Pacífico!
Eu?!
Que jeito?!
Sem o PC e a Net ?!
Sem o Varal de Ideias
e sem o resto?!
Não me apanham nessa!


35 comentários:

Carlos Gil disse...

eu também levava alguém :)

gostei do teu rol

Rosalin disse...

Adorei teu texto!!!
E das tuas idéias a que achei mais interessante foi a das sementes... elas teriam tempo de sobra pra crescer e dar frutos. Muito boa!
Até mais

Rosalin
http://rosalinscheily.spaces.live.com/

Raquel disse...

Puxa vida que lindo!! Adorei a parte que vc fala de seu marido. Tocante e divertido!! Lindo!!!
Adorei sua lista, viu?? Parabéns!!
Nos vemos na volta!

Xêro
Raquel

Ah!! escreva mesmo o livro! Reservo desde já o meu exemplar!! Adorei!

Renata Nogueira disse...

Muito bacana! Adorei!
Temos o canivete suiço em comum em nossas listas!
Um abraço

Daniel und die Delphine disse...

Eu tb estou levando um canivete e outras coisas...

Ruvasa disse...

Viva, Maria de Fátima!

Mas, nos dias que correm, ir para uma ilha deserta é uma bênção, mulher!

;-)

Abraço

Ruben

Eduardo P.L disse...

Maria de Fátima,

ganhamos além da lista, um texto muito divertido! Parabéns, vamos dar muita risada nessa ilha!

Luis Bento disse...

Fantástico! Eis cmo de um pequeno desafio conseguiu construir um texto que nos prende da pirmeira à última palavra. A Fátima escreve muito bem! Parabéns!
Adorei a ironia fina.

Spark disse...

Mesmo mto bom! ;)

...e obrigado pela visita!

Georgia disse...

Muito bom...

Nely disse...

Parabéns amiga, um lindo post.
Marido dá jeito mesmo, eles fazem om pouco de tudo e ainda nos mimam...quem tem!
Sabe uma opção minha também foi o canivete suiço rsrsr e já encintrei outros blogs com a mesma opcção. Ou estamos com falta de ideias ou é mesmo uma ferramenta útil rsrsr.
Beijinho, amei te visitar.
Boa viagem querida.

Andrea Vaz disse...

Parabéns pelo texto!
Acho que compartilhamos a mesma idéia!

Adorei sua participação!

Aguardo sua visita!

Christi... disse...

Ótimo texto, com questionamentos dentro das escolhas, que geralmente pensamos ou fizemos, eu não pensei na água molhando meu caderno. Vou fazer uma cabana, já que não tem internet, vou precisar escrever de alguma forma.

beijos
Chris

Laura Diz disse...

OH! que bonito!
eu não tenho marido, o teu "é pau pra toda obra", como dizem aqui no Brasil, por isto escolhi um Tarzan ou robô, tb são úteis :)
Muitíssimo prazer,vc é uma artista, já vi.
Posso copiar sseu desenho da ilha? coloco link pra cá. Vc merece.

Mírian Mondon disse...

Muito bom Fatima! Dei muita risada da sua lista!

Eu tirei o canivete Suiço da minha lista e deixei para meu marido levar! Rs

Gostei de conhecer seus blogs e voltarei para ler com calma! Agradeço a gentil visita!

Abraço!

marie disse...

Obrigada pela sua visita, ainda estava a aprontar as coisas pra levar! eheh
Agora já está tudo pronto...
Seu post está espectacular.
Bjs.

Cláudia Oliveira disse...

oi! adorei seu texto que não é uma lista sucinta!! Gostei muito quando fala dos filhos...pensei o mesmo que ti: que fiquem na civilização ou então que se dirijam às suas ilhas escolhidas!! Eu sofreria um bocado sem meu computador, minha conexão banda larga e o mundo inteiro para explorar através deles mas tenho certeza de que seria um bom momento esses 10 anos isolada comigo mesma!! venha me visitar no doceladodavida.blogspot.com bjooo

A Lobba! disse...

Adorei o canivete suiço, eu mesma tenho um que não largo e nem me lembrei do pobre, acho que é pq ele está tão em mim que passou a ser extensão...engraçado!
Adorei seu post!
Prazer em estar aqui!
Lambidas da lobba!

Mena G disse...

Sensacional, Fátima!
E o marido?
Terá sido "tido e havido", como babagem?!
;)É que me parece uma "peça" muito fundamental...
Gostei muitissimo!
(Não postei. Hoje estive, muito quietinha, durante 5 horas, numa ilha muito povoada.)

expressodalinha disse...

Concordo com tudo menos com o marido. Esse eu não levava de certeza! Olá Mena.

Claire disse...

Olá Fátima, o canivete é para caso a garrafa contenha mensagem!
sorriso

Nana Odara disse...

Mesmo se a viagem fosse real e sem nenhum motivo épico, eu ia assim mesmo...
pena q foi só brincadeira...
Acho q vou refilar e morder or não poder ir, cadê os meus direitos???
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Serena Flor disse...

Muito legal e criativa a tua participação nesta tertúlia..parabéns!
Um beijão!

Pai dos trigemeos disse...

Que belo! Ah, o canivete tambem levei!
fiz 2 listas:
ostrigemeos.blogspot,com
octaviolacombe.bllogspot.com
abracos

Susana disse...

Belo texto! De facto é muito difícil seleccionar apenas cinco coisas...alguma coisa ou alguém teria que ficar de fora...mas se fosse para fugir da gripe e assim salvar a vida...que remédio senão viver na ilha...

Bjs Susana

Compondo o olhar ... disse...

texto bem escrito e muito criativo. adorei seus itens...
tbm estou participando, dá uma olhadinha por lá,

bjocas

Juliêta Barbosa disse...

"Que fizesse fogo, além do que incendeia a alma".

Só por essa frase eu queria ser sua vizinha de ilha.Lindo texto, escolhas inteligentes.bjs

Eduardo Santos disse...

Olá amiga. As escolhas são bastante criteriosas, mas para quem insiste em não ir... Excelente texto e bem enquadrado no tema, gostei mesmo. Aliás, à medida que vou visitando os participantes vou tendo algumas surpresas. De facto este tema abre portas para um convívio são e agradavel. Tudo de bom para si.

luzdeluma disse...

hahahaha eu encarei essa ilha como um castigo, assim como fez com o marido!!

O que é uma piroga?

Assim acho que é como voltar ao início dos tempos. Como seria retornarmos ao tempo das cavernas ou coisa assim. Dez anos, eu não duraria numa ilha sem modernidade!!

Bom fim de semana! Beijus

Gisele Amaral disse...

Ahahahaha =) Que texto bem humorado, adorei a proposta do blog!

Um beijo.

=*

wind disse...

Gargalhadas Escritora, está brilhante este teu escrito!:)
O que me ri:)
Mas está excepcionalmente bem escrito:)
Parabéns:)
Beijos

Paula Raposo disse...

Excelente!! Adorei ler-te...beijos.

Mateso disse...

Parabéns! Fina e alegre ironia mas...com tanta verdade.
Parabéns sobretudo pelas escolhas...
Bj.

pilantra disse...

Essa ilha não me seduz, que é muito escalavrada.
Levava um barco à vela e binóculos para procurar outra ilha.
Levava a nossa História Tragico-Marítima para me ir aclimatando. Levava uma cana de pesca para a esperança.
Levava um canivete suiço, que não gosto de comer à mão.
E sim, ia para uma ilha deserta.
Só não sei por quanto tempo.

Benó disse...

Gostei imenso do teu texto. Está cheio de ironia e graça.
Um beijo.

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein