segunda-feira, 6 de março de 2006

Encontro de poesia ...

Parece...
por aí contaram
Aquilo foi de maravilha
Comeram e entornaram
E disseram poesia !!
Eu não fui...
Mas lá andei trocada de fantasia
Ora escutem.
Repararam naquela mosca vadia?
Essa mesmo! Sim! Aquela!
A que saltava do prato para a travessa
onde havia
o prato delicioso, aquele que apetecia!
Essa mesmo!!

Andando de lá pra cá
Poisei sobre o belo Ognid
Raio do homem, vejam lá!
Afastou-me, com ar desagradecido
Ao OrCa abracei-o
Com inefável carinho
O pateta enxotou-me
Quase lhe caí no vinho!
À Lique acariciei-lhe a mão
Apoiada na toalha
Ela deu-me uma palmada
Quase caí na salada.
Fui ao amigão do Telhado
E o Zeca deixou-me em choro
Tava todo emlambusado
Pela menina Rapouso!
Fiquei por ali bailando
Fui segredar ao Zé Fanha
“Lembras-te daquelas fitas
Feitas lá prás minhas bandas?”
Não se lembrava de nada
Que raio de noite azarada!
Quando voltava a ser,
Seilá se seria ou não,
Aparece-me a Tmara
Com a Júlia pela mão
Quase que se aperceberam
Seilá eu se sim ou não!
Dos outros que nem m’alembra
Tal era a confusão
Se lhes piquei, me perdoem
E até outra ócasião!!!





Obrigada Jorge! Aquele abraço!

13 comentários:

Paula Raposo disse...

Ora bem!! Mas tu estavas lá. Não estou é a ver quem és, de repente...Obrigada pela parte que me tocou neste teu post. Fizeste-me rir. Gostei da ternura. Beijos para ti. Vou linkar-te.

Zecatelhado disse...

Eh,eh,eh! essa da mosca...
Mas falei de ti, sim senhora, principalmente quando ouvi um dos teus textos.
Um @bração do
Zecatelhado

ognid disse...

Tu, minha marafada, e apesar do que aqui escreveste (belo ognid :/) estar uma maravilha, NÃO estás perdoada por teres faltado. Apesar disso tenho que reconhecer que o poema que mandaste (de recordações do passado) era lindo. Um beijo.

lique disse...

Bem me queria parecer que eras tu, aquela mosca chata! :)) Fazia um zunido que não nos saía dos ouvidos, assim como quem quer dizer-nos alguma coisa que a gente não entende logo à primeira. Só podias ser tu....
Para a próxima, vê lá mas é se apareces... Que o teu poema deixou-me água na boca de falar contigo, em pessoa.
Beijão

Júlia Coutinho disse...

Eu bem sabia que na sala havia mais gente ... eu até senti, a certa altura, a tua presença no meu prato (porque também ficaste seduzida por tanta iguaria...)não é verdade?
Na próxima já não te enxoto.
Mas espero bem que possamos ter uma aproximação diferente, com conversas menos virtuais.
Beijinho grande.

wind disse...

Gargalhadas, está genial:)))) beijos

TMara disse...

bem me pareceu k andava coisa no ar....Afinal era a menina k se Travestiu de mosca....valeu apena o disfare k tal poesia pariu. Lol* Mas olha lá, quem é a Julia??????
Bjocas e;)

OrCa disse...

Gente boa, gente à toa,
uns do Porto ou de Lisboa,
raio de malta mais tosca
que nem dá cavaco à mosca
nem a deixa numa boa...

se me disseras, sei lá,
"- meu Orquinha" ao meu ouvido
ah, eu te garanto, pá,
que outro seria o zunido
no meio do fungagá

mas 'inda assim lá estiveste
bem mais perto da função
pelos versos que me deste
e que um Fanha nada agreste
nos levou ao coração

e vendo bem a marosca
e o tamanho do poema
não era a mosca pequena
... mais me pareceu um zangão! :)

Beijos, moçoila. Para a próxima, já sabes...

Menina_marota disse...

Fantástico!

Como lamento não ter ido, mas sei que haverão outros encontros e a minha oportunidade surgirá...


Ainda estou a sorrir da mosca...

Abraço ;)

Amaral disse...

Na presença duma ausência, nada melhor que um presente! Delicioso! Um trabalho de imaginação e sensibilidade…
Porque é dia da mulher, tenho um post, um beijo e uma flor!

legivel disse...

Andas inspirada, andas. Deve ser por gostares tanto de laranjas... doces.
Tem um bom dia!

sonia disse...

Ai a tua faceta poeta, que bonita. ehehe.
beijinhos

peciscas disse...

Amiga:
Para ti, hoje, um beijinho especial.

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein