sexta-feira, 8 de março de 2013

do mesmo rio



El Beso de Gericault

                   
                  o rosto e o seio
e o púbis exposto
e os joelhos 
e os dedos grandes de cada um dos pés

e as mãos

as mãos que escavam fétidos interiores 
que arrancam troncos em busca da raiz 
que só nela o gosto
que retiram do ventre o ser nascente
ajuda de fémea
seu consolo

e o umbigo

delicado enfeite do corpo
resto de ter sido sémen
e ter sido mórula 
e ter sido zigoto 
ter sido embrião e alimento



a lágrima e o riso juntos
ambos
macho e fêmea
águas do mesmo rio 
assim nos somos 
e queremos
um no outro

3 comentários:

REJO MARPA disse...

E assim se faz o Mundo...
E com o fazer é Maravilhoso...
E como é sublime esse momento...
E como o foi também,a sua descrição...

Mena G disse...

2ª coisa boa que li hoje... Já ganhei o dia!

wind disse...

Fabuloso!
Beijos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein