segunda-feira, 18 de agosto de 2008

perdão

A Vida o tomou em suas ternas mãos
Onde prosseguiu aprendizagem
não é lugar nem tempo
não é o que se explique
sabe-o quem ama
despojado e livre

Essência
Verdade
Amor que é tudo isso numa só palavra

E eu que espero o meu tempo
peço perdão
não sei a qual Deus
a qual das Divindades

(a quem peço eu perdão
quem me dá ombro para esta dor)

Perdão do desamor de querer que fique
querer para mim o que não é meu
Perdão por não reconhecer as leis do Universo
e nelas ser humilde

Que um Deus
(um ao menos)
me perdoe que eu não cante
que eu apenas chore que ele partiu


9 comentários:

Mena G disse...

Se existir (neste Universo de Leis...) um Deus qualquer, Ele estará calado,silenciado,mudo, respeitando o som do Teu choro.

Marcelha disse...

Saudades...
EU SEMPRE VOLTO!

Maria João disse...

Boa tarde, Maria de Fátima. Vim conhecer a minha "colega" entre os autores da Companhia dos Livros e deixei-me encantar pela qualidade da sua escrita. E depois (porque não dizer-lhe a verdade?) um suspirozito de alívio; - Ainda bem que o meu blog só tem sonetos...
Hei-de voltar, com mais tempo, para uma leitura exustiva.

Maria João

Maria João disse...

Boa tarde, Maria de Fátima. Vim conhecer a minha "colega" entre os autores da Companhia dos Livros e deixei-me encantar pela qualidade da sua escrita. E depois (porque não dizer-lhe a verdade?) um suspirozito de alívio; - Ainda bem que o meu blog só tem sonetos...
Hei-de voltar, com mais tempo, para uma leitura exustiva.

Maria João

almaro j. disse...

soube pela nossa helena do teu novo projecto. não queria deixar de te dar um beijo de parabéns...

que tudo te corra bem ,sei que te vais sentir feliz com o novo rebento.

um beijo de saudades

Anónimo disse...

Menina Maria.
Aqui vai o que prometi ao Zé Domingos.
Peço desculpa pelo atrazo. Sou um moço que já esquece tudo.

http://aparenciasdoreal.blogspot.com/

Armindo "O último dos revolucionários"

Digam-me se isto chegou por aí, porque a minha máquina anda esgroviada.

wind disse...

Escritora, está emocionante.
Beijos

Luís Maia disse...

Gostei muito tem lugar certo no meu escaparate

Obrigado

Mateso disse...

Um dedilhar de sentires em palavrs puras.
Lindo.
Bj.

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein