quarta-feira, 11 de julho de 2007

demolhadas


Pus de molho as letras
Uma mão cheia delas
Vários abecedários
E muitas salteadas
Vogais, bastantes.

Pu-las a refrescar em água fria
Uns cubos de gelo derretidos antes
Três graus bem medidos
Estão a demolhar como o fiel amigo
Mas são outras que as do excesso salino
As razões
Ficam-se elas por coisas da alma
Indefinições

Demolho-as uns tantos dias
Mudo a água
Aguardo que se entrelacem
Pês com ós, és e emes agarrados a ás
Tantas formas que nem sei imaginar
Se o soubera nem precisava demolhar
As letras
Soltariam sua presença
Em contados, em histórias, em narrar
Assim
Ficam ali, já disse

Mas temo que seja demais deixá-las a medrar
Um dia ou mais
Temo que rebentem em raízes
Deitem folhas, flores
Que saiam da água por aí em fila,
Aos grupos
Palavras dependuradas em árvores
Um susto que eu nem saberia
Nem pela cabeça passaria
O que elas iam por aí contar

Mais vale que as refresque um pouco
O tempo apenas de que venham
Como aos ovos
Acima as que, eventualmente
Estejam chocas
E se forem todas
Pois se forem
Nunca mais as uso
Nunca mais escrevo uma linha

Por enquanto, estão ali fresquinhas
Numa taça de vidro transparente
Nadam o ás de espanto, atrelados
Que engraçado!
Aos agás.

(Coitadas das minhas letras
Escreveram uma palavra
Que deu em vir à tona
Não de choca
Empurrada pelas outras todas
Perguntam:
Vais cozinhar-nos ou afogas-nos?)

15 comentários:

legivel disse...

bem demolhadas as letras
servidas à lagareiro,
são acepipe sem tretas
e prato do ano inteiro.

mas se arranjadas à braz
marcham também concerteza
sem "efes" "gês" e "agás"
não se dispensam à mesa.



PS: as letras cozinhadas e depois de demolhadas que mais aprecio são "à Gomes de Sá".

Gi disse...

Deixa-me tomar balanço para ver se escrevo alguma coisa de jeito e já cá venho :)

Estava a deliciar-me com a tua escrita e apanho com o comentário do legível, acabou por me dar a fome.
Ora espera aí um bocadinho s.f.f.

Mateso disse...

Não lhes atribuo quaisquer conotações gastronómicas, pois que já em si , são d e l i c i o s a s!
Parabéns.
Bj.

Arion disse...

Afoga isso tudo, que é para não se engalfinharem umas nas outras! ;)

TCA disse...

tudo medra por aí nesse teu jeito fertil de fazer as lettras marinar.

CNS disse...

Aguças-me cada vez mais o apetite por estes teus cozinhados de palavras

Alba disse...

Lindíssimo! E eu acho que deves poupá-las. Devarinho, durante a noite, elas levantam-se e juntam-se formando a linguagem das fadas, que uma fada mais pequenina e mais marota lhes ensinou. Mas é segredo...

Acilina disse...

Engraçado!
Com os números acontece-me o mesmo!...
E com as ideias... as boas... as más... as ainda tão novinhas que não se sabe se darão fruto...
"Demolho-as uns tantos dias, mudo a água... aguardo que se entrelacem..."
Belíssimo!!!

wind disse...

Escritora, está espectacular!:)
Belíssimo:)
beijos

Pepe Luigi disse...

Belíssima combinação feita em poesia.
Gostei!

Um beijinho
do Pepe.

Ana Paula disse...

Tão giro!!!! :):)
São tão queridas as palavras. E tu fazes com elas textos, poemas muito bons! :)
Bjs

Gi disse...

Já me consegui refazer
Deste susto monumental
Quando as letras do teu texto
Me saltaram para o avental
Estava eu a preparar-me
para deixar uma receita a gosto
quando me mandaram esperar
que chegasse o mês de Agosto
acredita que foi coisa
que me deixou intrigada
sabia lá que receitas com letras
tinham que ter data marcada...
Demorei a responder
Porque fui investigar
mas para elas que não me fugissem
Enfiei-as no alguidar
Não foi difícil descobrir
O porquê de tudo isto
Afinal elas sabiam ...
O que ía ser o petisco ...
Agosto ... não tem “R”
Lá me lixavam o marisco!
O que não se consegue fazer
Para defender a pele
Até mesmo as letras
Que estão só no papel ....
Vou ter que aguardar
que me chegue a inspiração
pode ser que com sorte
ainda seja este Verão
depois logo deixo
uma receita à maneira
salteadas talvez ...
arranja tu a frigideira.

Já agora para que não penses
que sou uma cozinheira má
deixo um doce de letras
para a D. Seilá

B-E-I-J-O-S-D-O-C-E-S-

Gi disse...

Já te li no meu cantinho , fica aqui a resposta :)))))

Sai uma letra mal passada
Ali prá mesa do canto
Pegue no dicionário ó freguesa
está tudo que é um encanto
vá escolhendo a sobremesa
temos “AH e OH de espanto
feitos com língua portuguesa
enquanto não chega o esperanto
gostamos de boa cozinha
queremos ser internacionais
mas conservar a identidade
sem kapas Ipsilons e que tais
Pela receita vai ter que esperar
Por um momento de ócio
Ando com falta de tempo já viu
Bom e o segredo ....

é a alma do negócio :))))

mais 6 letrinhas

B E I J O S

legivel disse...

pudera!!

com tanta variedade comestível (com a pantagruélica menina Gi a fazer crescer água na boca ao comentador menos avisado e mais esfomeado) como é que há-des escrever mais letras temperadas à tua maneira...

efe disse...

que crueldade. vingar-se-ão, no final.

;)

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein