segunda-feira, 1 de maio de 2006

a Mulher

Hoje não escrevo nada.
Não sei palavras para dizer desta mulher real.
(dela e de mim.)
Dela neste primeiro de Maio .
Não. Eu hoje não sei palavra. Apagaram-se-me as estórias.
Esvaziei.
Não. Não me dói nada. Nem estou comovida.
Só fiquei sem palavras. Coisas antigas. Ergueram-se-me fantasmas.
Hoje, dia primeiro de Maio, depois de a ver ali fotografada.


11 comentários:

wind disse...

É mesmo para ficar sem palavras. Foto muito bem tirada, mas o que nela se vê arrepia, é de uma solidão, um agarrar a algo passado ou perdido que dói a alma. Beijos

Friedrich disse...

A imagem foi muito bem escolhida, não é preciso as palavras, mas apenas o sentido da comemoração... Só uma coisa me intriga, porque será que a velhota leva um boneco ao colo? Será por sentir saudades da maternidade? Pode muito bem ser.

Beijos

legivel disse...

Sou mais optimista que tu; não, não estou a competir. A condição humana também deve ser vista á luz da razão. Se assim não fôr... o mundo bem pode "pular e avançar"... para trás.
Ao contrário de ti, sem essa mulher, eu não teria palavras. Ela, é (também) a minha razão de esperança em alvoradas diferentes. Com muitas palavras... e gestos.

Abraço.

lique disse...

Essa foto faz-me uma sensação de estranheza, de algo que não bate certo. Eu nunca a imaginaria numa manifestação do 1º de Maio. Há solidão, algum estranho abandono, nada que tenha a ver com um acontecimento colectivo. É uma foto um tanto "arrepiante".
beijão, mulher!

Humor Negro disse...

Ena! Carinha nova Seila! Ficou bem fixe. Um beijinho.

augustoM disse...

A fotografia sem dúvida tem impacto, contudo fica a dúvida sobre a sua sanidade. O boneco poderá representar tanto, mas tanto, como nada mais representar do que uma representação. Soltemos a imaginação, ela que faça a sua interpretação.
Um abraço. Augusto

De Amor e de Terra disse...

Quem sabe se perdeu o seu Abril ou se se terá perdido nele...
Quem sabe das guerras, dos filhos, dos longes sem regresso...
Quem sabe onde terá deixado a alma!


Um beijo da

Maria Mamede

herético disse...

Um foto digna de Fellini...

Julgo que está certa, sim, no 1º da Maio! Nesse caudal de humanidade...

ognid disse...

Sabes que foi complicado técnicamente fazer a fotografia porque havia muitos repórteres a tentar fazê-lo e ela não queria. Tive que me afastar e usar a tele-objectiva e assim consegui tirar algumas. Curiosamente ou não, sempre foi assim, no momento de tirar a foto não sinto grande emoção. Acho que é mais instintivo. Depois, no computador, quando a trato aí sim, aparecem as emoções. E foi difícil esta. Como já aconteceu em muitos casos. É a sensação de estar a invadir a privacidade de alguém. É o quase conseguir saber o que ela sente. Não te sei explicar. Um beijo minha amiga.

ognid disse...

Só me esqueci de corrigir uma coisa. A foto não foi tirada no 1º de Maio mas sim na manif do 25 de Abril na Avenida da Liberdade. E tem um título que usei nos sites de fotografia onde a pus - com o passado nos braços. beijo

sonia disse...

Eu conheço a senhora. mais que a senhora, a sua história, a história que carreaga aquele boneco que ela trata como filho. é triste. uma foto que me arrepiou.
beijinhos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein