sexta-feira, 17 de fevereiro de 2006

Aniversário

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos, ,
Eu era feliz e ninguém estava morto. ,
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos, ,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer. ,

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma, ,
De ser inteligente para entre a família, ,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim. ,
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças. ,
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida. ,

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo, ,
O que fui de coração e parentesco. ,
O que fui de serões de meia-província, ,
O que fui de amarem-me e eu ser menino, ,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui... ,
A que distância!... ,
(Nem o acho... ) ,
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

(...)


(excerto do poema Aniversário de Álvaro de Campos)
...................................................


Parabéns, irmão!

5 comentários:

Caçadora disse...

PARABENS!!! Todos.. Bj e bom fds!

lique disse...

Parabéns a quem merece a escolha de um poema de que tanto gosto.
Beijão e bom fim de semana.

reflexoes depois disse...

Álvaro e Botero na ilustração... uma carta de vinhpos exc4elente para essa festa de aniversário. Cheguei nessa casa em boa hora!

legivel disse...

O Álvaro de Campos que me desculpe mas ainda continuam a festejar o dia do meu aniversário. Os meus familiares e amigos. Os que já partiram, óbviamente que não, porque a morte também faz parte da nossa história de vida, da qual não perco o seu sentido e de "ter saúde" para a continuar a perceber.

Parabéns ao irmão!

wind disse...

Parabéns para o teu irmão que deve ficar deliciado com este poema que é uma das referências do Mestre:) beijos

adoro estes espectáculos - este é no mercado de Valência

desafio dos escritores

desafio dos escritores
meu honroso quarto lugar

ABRIL DE 2008

ABRIL DE 2008
meu Abril vai ficando velhinho precisa de carinho o meu Abril

Abril de 2009

Abril de 2009
ai meu Abril, meu Abril...

dizia ele

"Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas quanto à primeira não tenho a certeza."
Einstein